5 1 vote
Article Rating

Canção de Ninar para um Príncipe das Sombras

Das sombras ele vai chegar

Oh! Como uma doce criança vai aparentar

Diabo dentro da pele vai habitar.

Foge, formiguinha, o Senhor das Sombras vai chegar.

Crianças de mãos dadas vão brincar

Velas pretas vão queimar

O filho das sombras eles vão coroar

E o Mundo das Sombras finalmente erguer-se-á!

D. F.

Prólogo

O mundo Arcanos

O mundo Arcanos surgiu pela necessidade de criaturas mágicas serem protegidas dos ataques brutais dos normais (humanos), mas nem sempre foi assim, pois humanos e seres mágicos viviam em perfeita harmonia e a magia era usada para o benefício coletivo. No entanto, os corações dos normais foram contaminados pelo desejo de poder, e quando o Rei Frederic II lançou a Carta de Salvação em 1326, na qual afirmava que os seres mágicos não eram amigos e sim potenciais inimigos, uma vez que tinham a vantagem da magia a seu favor, a caça a seres mágicos iniciou-se com ferocidade.

As criaturas mágicas mais poderosas eram mortas imediatamente, enquanto aquelas com menor poder eram usadas em trabalhos escravos. Mas como os humanos conseguiriam controlar esses seres mágicos? Bem, eles tinham ajuda das Irmãs Áurea, três feiticeiras poderosas muito bem pagas pelos reinos para caçar criaturas mágicas, e uma vez capturadas estas eram enfeitiçadas para obedecer a seus “donos”.

Vendo a carnificina que se espalhava pelo mundo, três magos poderosos (Elyase, Zepar e Draco) se uniram para criar um lugar seguro onde somente seres mágicos pudessem entrar. Para isso eles foram a localidades bem distantes — que, por medida de segurança, não serão mencionadas aqui — e ergueram barreiras mágicas, que logo vieram a ser chamadas de Véu, em torno de uma grande extensão de terras, tornando-a um lugar de refúgio para todos os seres mágicos. Demorou cerca de dois anos para que todas as criaturas mágicas passassem para dentro do Véu, pois havia entre muitos o receio de que tudo aquilo fosse uma armadilha das Irmãs Áurea.

Então a terra dos normais se viu sem seres mágicos e eles tiveram de aprender a conviver sem a magia. Enquanto isso, dentro do Véu, um forte sentimento antinormais cresceu, apesar de os Magos Fundadores tentarem pregar uma mensagem de paz (menos Zepar, que acreditava que os normais eram inferiores e mereciam pagar pelo que fizeram).

E logo isso aconteceu, pois em 1346 uma onda devastadora de mortes atingiu os normais. Levou um bom tempo para os Magos Fundadores perceberem que as mortes eram causadas pelos altos níveis de magia no ar, com o acúmulo apenas em um local. Os humanos, que a partir daquilo ficaram menos expostos à magia, passaram a ter reações alérgicas mortais quando estavam em contato com ela, então em 1353 os Magos Fundadores usaram toda a sua força para drenar a magia do ar do outro lado do Véu, criando canais mágicos que hoje conhecemos como Linhas de Ley. Esse ato heroico destruiu os corpos físicos dos Magos Fundadores, transformando-os em entidades mágicas etéreas, que hoje são reconhecidas como os Deuses Arcanianos, e só fez crescer o preconceito contra normais. Agora, sem os Magos Fundadores, os povos mágicos precisaram se organizar, criando assim o mundo Arcanos, com A maiúsculo para identificar sua superioridade em quesitos de força e conhecimento, e passando a chamar o mundo dos humanos de mundo normal, com n minúsculo para mostrar que eles eram inferiores. A próxima criação foi o governo que até hoje se mantém de pé e garante a paz e o bom funcionamento da sociedade mágica, a Tríade, que recebeu esse nome em homenagem aos três Magos Fundadores.

Em 1393 as Irmãs Áurea foram capturadas e levadas ao primeiro julgamento mágico, através do qual foram consideradas culpadas por todos os seus crimes, tiveram seus poderes bloqueados e o ouro que ganharam capturando criaturas mágicas derretido e convertido nas estátuas dos Magos Fundadores e foram expulsas do mundo Arcanos, passando o resto de seus dias vivendo como normais.

Atualmente os governos não-mágicos e mágicos vivem sob acordos de paz. As relações afetivas também são permitidas, mas não encorajadas pelos arcanianos, principalmente pelas famílias mais antigas, que pregam a não associação com normais e repudiam as leis de paz entre os povos.  

5 1 vote
Article Rating