Resenhas

Outubro Rosa & Paper Girls

Estamos em um mês bem significativo e importante para a mulher e também para homem: Outubro Rosa — é uma campanha anual realizada mundialmente em outubro, com o propósito de alertar a sociedade em relação ao diagnóstico precoce do câncer de mama. A mobilização tem como propósito destacar a importância da saúde, lutar pelos direitos do atendimento médico, suporte emocional e

garantir um tratamento de qualidade. Podemos ver que hoje, diversas instituições aplicam o tema para encorajar mulheres a realizarem o exame, a fim de prevenir, visto que nos estágios iniciais é considerada como uma doença assintomática.

O câncer de mama é um tumor maligno, que ataca o tecido mamário, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), se desenvolve quando acontece uma alteração de alguns trechos das moléculas de DNA, multiplicando células anormais que geram o cisto. O câncer de mama acomete entre os homens também, são diagnosticados cerca de 1% do total de casos doença.

O Instituto Oncoguia informa que diagnosticar o câncer precocemente, pode aumentar as chances de cura. 

Um grande movimento que deu início no ano de 1990 em New York, o evento era conhecido como: corrida pela cura, e tinha como propósito em arrecadar fundos para a pesquisa realizada pela instituição Susan G. Komen Breast Cancer Foundation. Com o passar dos anos, o evento ficava cada vez maior e conhecido, logo outubro passou a ser o mês da conscientização nacional nos Estados Unidos, até se espalhar para o resto do mundo.Em 2002, o Brasil aderiu a causa e realizou sua primeira ação no parque do Ibirapuera, em São Paulo. O obelisco aos Heróis de 32  foi tomado por uma iluminação cor-de-rosa. Em 2008 diversas entidades relacionadas ao câncer aderiram a ideia de iluminar prédios e monumentos, a fim de transmitir a mensagem: a prevenção é necessária.

Uma dose de Observação:

Os médicos sempre recomendam que mulheres e homens à partir dos 40 anos, a realizarem o exame preventivo a mamografia, a cada 1 ou 2 anos. Mas quando há relatos de câncer de mama na família, é necessário a realização do exame a partir dos 35 anos de idade, sem exceção. Não esqueça, de que se você tem pessoas dentro ou fora da família, incentivem a realizarem o exame, para que possam se prevenir da doença. Faça a sua parte ajudando aqueles que precisam ser ajudados. 

Recentemente passou a fazer parte desse movimento também a prevenção e do diagnóstico precoce — câncer de colo do útero.

Por meio deste tema, venho aqui incentivar mulheres/homens terem força e confiança através de Paper Girls, uma HQ que mostrará a trajetória de 4 garotas que enfrentaram juntas o desconhecido.

A HQ

A história se passa em 1988, após as últimas horas da madrugada do Halloween. Quatro garotas — Erin, MacKenzie, KJ e Tiffany que entregam jornais em sua cidade, acabam entrando em meio a uma guerra de facções que viajam no tempo através de uma máquina. Em meio ao desconhecido terão que lidar com suas próprias decisões pessoais.

Minha Nota:

Confesso que sou cúmplice em expor minha opinião sobre Paper Girls, a história é fantástica em todos os sentidos, ainda mais por ter a nostalgia dos anos 80’s, as viagens no tempo e os elementos SCI-FI. Cada personagem que é exposto pelo criador, de alguma forma (seja regular ou recorrente) chamou a minha atenção pela personalidade e opinião própria de cada uma ali. Além disso teremos em vista alguns temas que são trabalhados durante a trama principal, como: as questões sociais, familiares, sexual e os preconceitos, afinal elas se encontram na fase da adolescência e isso faz com que elas descubram mais do seu eu verdadeiro. (Sendo assim buscando a pura realidade que aquela década carregava).

Um dos pontos chave é a peculiaridade da história presente, pois cada uma acaba tomando seu próprio rumo em certas horas e depois todas juntas, da qual possam levar a lugares desconhecidos ou viajando pelo tempo, elas terão que lidar com suas versões mais velhas também. Vale ressaltar que a amizade delas passa a ser testado e provado a cada situação que se submetem, e o mais incrível é que elas não se deixam abalar, pois independente da causa, elas sempre tomam a responsabilidade pra si próprio.

O feminismos fica bem claro nessa HQ, além de suas personalidades forte, vemos que elas desencadearam aquele paradigma de que isso ou aquilo é serviço para garotos, e não para garotas ou até mesmo elas não precisam bancar a pobre donzela em perigo, elas metem a cara e tentam resolver do jeito delas. Naquele tempo era bem comum encontrar meninos entregando jornal na vizinhança, pois a maioria das meninas brincavam de bonecas e casinha, aqui em Paper Girls é totalmente diferente. Isso mostra a preparação e amadurecimento para a sociedade. Repleto de referências políticos e sociais (bem curiosos), também teremos menções a filmes, bandas, figurinos, e elementos do futuro que acabará despertando sérias curiosidades.

Antes que você pense que se parece ou até mesmo seja cópia de Stranger Things, segura a onda aí, pois Paper Girls veio muito antes de ST.

In Parenthesis:

Brian K. Vaughan é um roteirista de mão cheia, ao escrever “Ex Machina, Y – O último homem” e “Leões de Bagdá”. Ele levou para casa os prêmios The Joe Shuster, Harvey Awards e vários Eisner. Responsável por alguns roteiros da série Lost, produtor executivo e roteirista da primeira temporada de Under The Dome.

Em outubro de 2015 a série começou a ser publicada pela editora Image Comics, tendo uma roteirização completa de Brian K. Vaughan, desenhos de Cliff Chiang e cores de Matt Wilson.

Devo mencionar que a história, os traços e a paleta de cores estão de tirar o chapéu. Tudo encaixou muito bem, gerando a originalidade de uma obra incrível, feito por mestres incríveis, agora imagine isso ao vivo e a cores nas telinhas.

Paper Girls foi finalizada em julho de 2019, contendo 30 edições na gringa. Aqui no Brasil a série é publicada pela editora Devir. Atualmente com 4 volumes (cada uma armazena 5 edições), faltando apenas lançarem as duas últimas edições para encerar.

Em 2019 a Amazon Studios comprou os direitos de Paper Girls, e ela vai ganhar uma série pelo Prime Video. Infelizmente não temos informações sobre o elenco ou de quando as filmagens irão ser rodadas, mas o que já foi confirmado no início de 2020 e  teremos Brian K. Vaughan e Cliff Chiang como produtores executivos da série e Stephany Folsom, Christopher Cantwell e Christopher C. Rogers, que também atuarão como showrunners. Além disso teremos a Legendary Television e Plan B que estão dentro do projeto, e isso é bem animador, pelo fato de serem estúdios de peso para a produção.

Outubro — Décimo mês do ano no calendário gregoriano, tendo leve semelhança a janeiro (exceto quando o ano é bissexto). O nome deve a palavra latina octo (oito), sendo assim o oitavo mês do calendário romano, que começava em março.

Cor-de-rosa — Rosáceo ou rosado é uma cor intermediária entre magenta e vermelho. Está relacionado a temática amor e paz em tons claros, e com atrevimento sedutor em tons mais escuros. Em diversos países a cor é ligada ao casamento, na Coréia tem o significado de confiança, e no Japão é uma cor popular entre homens e mulheres.

Essa resenha foi realizada com base nas HQs de Paper Girls e também pela Fanbase Paper Girls Brasil. Espero que tenham gostado, e se você não teve a oportunidade de ler, clique aqui, e tenha acesso ao conteúdo completo. — O material encontra-se em inglês.

Para esse e outros conteúdos exclusivos, não deixe de acompanhar a Boys Love Brasil nas redes sociais:

Twitter-Boy | Face-Boy | Insta-Boy | YT-Boy | Tele-Boy | What-Boy

Créditos:

Arte de divulgação: Paulo G. Veloso | Referência: NCA, Paper Girls Brasil, Studio Amazon | Revisão: Nathalia Costa | Texto: Paulo G. Veloso

Botão Voltar ao topo